Provérbios ilustrados

Essa charmosa charge[1] do Correio do Povo vem nos mostrar que, quase há cem anos, estamos usando muitas das mesmas expressões coloquiais “d’antanho”:

Correio do Povo, 12/05/1926. Provavelmente, os desenhos são de Francis Pelichek. Hemeroteca do Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa, Porto Alegre. 

“Ele quer comer nas minhas costas.”

“Passar cebo nas canelas.”

“…passou a perna n’ele.”

“Está fazendo castelo no ar.”

“Puxando as brazas para a sua sardinha.”

“Tentou encobrir ‘o sol com a peneira’…”

Na imagem, em função de estar um tanto desfocada, fica difícil identificar o autor dos desenhos, mas parece tratar-se do tcheco Francis Pelichek, que desenvolveu trabalho intenso como professor do Instituto de Belas Artes da UFRGS e também na imprensa de Porto Alegre.

Para escrever uma história em quadrinhos da época, esse é um exemplo de que a pesquisa pode ajudar também a escrita dos diálogos, provando que muitas formas coloquiais já estavam em uso no tempo em que a história se passa.


[1] Correio do Povo, 12/05/1926. Hemeroteca do Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa, Porto Alegre.

Deixe uma resposta